Cantar Alentejano

José Afonso (1929 – 1987) Cantor de fados e baladas de Coimbra, torna-se, a partir do início dos anos 60, na grande voz da resistência ao fascismo. Faz hoje 66 anos sobre a Morte de Catarina Eufémia. Na sequência de uma greve de assalariadas rurais foi assassinada a tiro pelo tenente Carrajola da Guarda Nacional Republicana. José Afonso imortalizou-a no tema “Cantar Alentejano” com letra e música da sua autoria

Chamava-se Catarina
O Alentejo a viu nascer
Serranas viram-na em vida
Baleizão a viu morrer

Ceifeiras na manhã fria
Flores na campa lhe vão pôr
Ficou vermelha a campina
Do sangue que então brotou                                                       

Acalma o furor campina
Que o teu pranto não findou
Quem viu morrer Catarina
Não perdoa a quem matou

Aquela pomba tão branca
Todos a querem p’ra si
Ó Alentejo queimado
Ninguém se lembra de ti

Aquela andorinha negra
Bate as asas p’ra voar
Ó Alentejo esquecido
Inda um dia hás-de cantar

2 comments on “Cantar Alentejano

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair /  Cambiar )

Google photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google. Sair /  Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair /  Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair /  Cambiar )

Conectando a %s