Pequeno Poema

Sebastião da Gama (1924 – 1952) Escreveu principalmente poesia, estando esta ligada à natureza (Serra da Arrábida). Morreu muito jovem (27 anos) com grave doença. Deixo um poema muito simples mas belo sobre a mãe

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava,

nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais…
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém…

Pra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos da minha Mãe…

Sebastião da Gama
Serra-Mãe: poemas.
Lisboa, Ed. Ática, 1996

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair /  Cambiar )

Google photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google. Sair /  Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair /  Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair /  Cambiar )

Conectando a %s