“Canção I” e “Amor” – Hilda Hilst

hilda_hilstHilda Hilst nasceu en 1930 en Jaú, no Estado de São Paulo. Filha única do fazendeiro, mais também poeta Apolônio de Almeida Prado Hilst que sofría de esquizofrenia e foi internado moi novo. Estudou Direito e levou uma vida boêmia até 1963, escandalizando a sociedade paulista e relacionandose con poetas como Vinicius de Moraes e outros artistas.

Logo dunha longa vida e frutifera vida de poeta, Hilda Hilst faleceu en 2004, en Campinas (Sao Paulo).

Amor

Que este amor não me cegue nem me siga.
E de mim mesma nunca se aperceba.
Que me exclua de estar sendo perseguida
E do tormento
De só por ele me saber estar sendo.
Que o olhar não se perca nas tulipas
Pois formas tão perfeitas de beleza
Vêm do fulgor das trevas.
E o meu Senhor habita o rutilante escuro
De um suposto de heras em alto muro.
Que este amor só me faça descontente
E farta de fadigas.
E de fragilidades tantas
Eu me faça pequena.
E diminuta e tenra
Como só soem ser aranhas e formigas.
Que este amor só me veja de partida

Canção I

É bom que seja assim, Dionisio,
que não venhas.
Voz e vento apenas
Das coisas do lá fora
E sozinha supor
Que se estivesses dentro
Essa voz importante e esse vento
Das ramagens de fora
Eu jamais ouviria. Atento
Meu ouvido escutaria
O sumo do teu canto.

Que não venhas, Dionísio.
Porque é melhor sonhar tua rudeza
E sorver reconquista a cada noite
Pensando: amanhã sim, virá.

E o tempo de amanhã será riqueza:
A cada noite, eu Ariana, preparando
Aroma e corpo. E o verso a cada noite
Se fazendo de tua sábia ausência.assinatura_hh

Em 1959, Hilda Hilst publica o”Roteiro do silêncio” e “Trovas de muito amor para um amado senhor”. O seu primo José Antônio de Almeida Prado inspira-se nos seus poemas para compor “A minha voz e nobre – Canção para soprano e piano”. Em outras oportunidades voltou a basear-se em textos de Hilda para compor alguns de seus trabalhos mais significativos.

Os compositores Adoniran Barbosa (“Quando te achei”) e Gilberto Mendes (“Trovas”), entre outros, também se inspiraram em textos da autora.

A obra de Hilda Hilst “Júbilo Memória Noviciado da Paixão” (1974), foi inspiração para Zeca Baleiro, maranhense, músico e poeta pós-moderno:

Advertisements

2 comments on ““Canção I” e “Amor” – Hilda Hilst

  1. Gracias por darme a conocer a Hilda Hilst, una desconocida para mí hasta ahora. Una luchadora para la Libertad Femenina en aquellos tiempos. Siento tener que escribir en español.

    Liked by 1 person

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair / Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair / Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair / Cambiar )

Google+ photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google+. Sair / Cambiar )

Conectando a %s